11 de julho de 2009

Mais Flip, Parati, para todos



































No domingo fez solzinho de manhã e fomos correndo andar de barco. Formulamos a tese de que cada casa em Parati...digo: Paraty, deve ter um barco ou canoa. Ou pelo menos uma bóia... Enfim, tudo lá flutua e nós também. Boiamos pelas ruas, encontrando amiguinhos. Tino e Ana Paula queridos, ele hipnotizou pais e filhos cantando o seu livro "Cadê o Juizo do Menino?" Inesquecível regendo as crianças em várias línguas: baiano, mineiro, gaúcho... he he he. Na tarde de sábado, após vagar famintos durante horas pelas ruas, quando tudo parecia perdido, protagonizamos um almoço histórico num restaurante-pousada cheio de charme. O tempo parou lá dentro enquanto desfilavam um elegante filé ao molho de amoras e taças de vinho. O mundo é cruel mas a vida é boa. (Ana Paula, não esqueci do teu rato, viu...)
E tinha o Jonas, parceiro na mesa mais divertida que já participei. E entre outros, Ana Raquel, Ana Claudia, Caio e Elaine, Bia, Celso, Jô, Luciana, Rosinha, Hermes e a Dani. Lenice me apresentou ao Giba, um contador de historias que me deu o fantástico cd dele , não paro de ouvir.
Também contei meu novo livro, o Só Um Minutinho, na biblioteca aberta montada numa uma tenda circular no meio da praça. Passou voando tudo, não deu vontade de ir embora. A diferença da Flip pros outros encontros é que aqui é uma festa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários