10 de junho de 2011

11 de junho de 2010

30 de maio de 2010

Histórias de amor

Na oficina em Cuiabá, alguem escolheu pra ilustrar este hai- kai do Leminski:
Amar é um elo
Entre o azul
e o amarelo

Les histoires d'amour finissent mal en general, já disseram Les Ritas Mitsouko. Mas, poxa...como é bom começar. Aconteceu de novo no caso do soldadinho de chumbo: um brinquedo, no meio de outros esquecidos pelo dono. Sim, como no Toy Story, que obviamente se inspirou nessa idéia irresistivel de Andersen, que nem deve ter reclamado direitos autorais pois morrera há mais de cem anos. Estava tudo ótimo porque a bailarina, por quem o soldadinho se apaixonou ao vê-la em demi-pliê, tambem gostava dele. Já contei que ele era deficiente? Mas eis que ele cai da janela, é sequestrado por bad-boys, posto num barquinho de papel na chuva, tragado pelo esgoto, achacado pelos ratos, engolido por um peixe, que horror...E finalmente recuperado pela cozinheira da própria casa de onde saira! Então. Mó legal, mêu, porque como disse, a bailarina tinha mesmo uma quedinha por caras fardados. Mas Andersen achou que tinha que terminar mal: um brinquedo mal-amado empurra o soldado para a lareira e, prá completar, um pé de vento sopra a bailarina prá lá tambem. E os dois se acabam juntos no fogo. Uau!

Acabei de chegar do musical infantil O Soldadinho e a Bailarina, que está no Teatro Tom Jobim, que fica dentro do Jardim Botanico no Rio. Portanto se voce chega uma hora antes tem dois programas em um! É estrelado pela Luana Piovani e dirigido pelo Gabriel Vilela.
Acontece que o elenco é tipo Broadway. São atores-cantores que quando abrem a boca te deixam de boca aberta. Bati palminhas e assobiei especialmente pras queridas e luminosas Jana (ína Azevedo) e, (pausa), Germana (Guilhermme)

E caso voce nunca tenha sofrido por amor, veja como reage alguem experiente no assunto.

21 de maio de 2010

 

Meu filho de 12 tem um melhor-amigo, o Matheus, desde o berçario!  E olha que hoje eles vivem em  cidades diferentes. Serão amigos para sempre? Meu amigo mais antigo, o Marcello, eu conheci quando faziamos uma revistinha de quadrinhos na faculdade e eu não vou dizer o ano porque entregaria a idade dele, coitado...hehehe. E também é um porre alguém com olhar perdido dizendo: " ...isso foi em '67...ou '66...minto: 68...não, peraí, peraí..." Um horror, né.

Um dia fundamos a dupla de ilustração Ivan & Marcello. Sabe, tipo Lennon & McCartney, Roberto & Erasmo, Casa & Vídeo etc. Bolamos um livro de bichos falantes chamado O Saco. Fizemos uma maquete bonitinha cheia de impressões de gravura. Depois de bater em meia duzia de portas, depois de acabar com nossas mesadas numa viagem prá são paulo, e de conversar com umas garotas superlegais, depois de encontrar com umas quatrocentas pessoas conseguimos uma editora. Com o dinheiro, pegamos um ônibus e alugamos sala no cume de um sobrado histórico na Glória, provávelmente condenado pela Prefeitura porque às vezes desabava. Nascia assim o studio Os Bambas do Lápis.

Bom, acho que pulei coisas significativas na nossa biografia...depois o Ruy Castro dá um jeito.
Enfim, hoje é dia do meu amigo de berçário: Feliz Aniversário, Marcello!

19 de maio de 2010

O bonde da FLIST


Domingo luminoso no Parque das Ruínas, durante a segunda edição da Festa Literária de Santa Tereza. Ao lado o Cristo Redentor, abaixo o Pão de Açucar no meio da baía, quer mais alguma coisa?
De A a Zigg fez parte de uma programação linda, para pais e filhos, organizada pelo CEAT, o colégio-castelo ( Eita! meu filho estuda lá!). Festa não é muito melhor que Feira literária? Entre garotos trocando figurinhas, músicas, poemas pendurados na árvore...pode ser até que voce dê de cara com o livro da sua vida, quem sabe? Bom, eu cada vez mais acho que não é a gente que lê o livro. É o livro que lê a gente.

Essas fotos são do blog Gato de Sofá, que nome legal he he he, onde tem tudo que rolou.

"Todas as coisas cujos valores podem ser disputados no cuspe à distância servem para poesia"
Manoel de Barros, homenageado desse ano na FLIST

 

4 de maio de 2010

nhame-nhame-nhame



Performance de Na porta da Padaria no SESC Cuiabá, semana passada.

2 de maio de 2010

Arsenal


Voilá o SESC Arsenal de Cuiabá, que no século 19 era Arsenal de Guerra da Capitania de Mato Grosso. No lindo jardim interno ainda tem umas balinhas de canhão esquecidas, coitadas. Deve ter mandado muita espingarda-pá-pá-pá-pá prá guerra do Paraguai. Hoje manda bem nas artes: salas lindas, teatro, exposições choperia...tudo acontece.

Virou minha casa por três dias essa semana: levei para professores de lá a oficina Linguagens que Contam Histórias. A idéia foi misturar no mesmo espaço, harmonicamente, narração gráfica, oral, musical e escrita para enriquecer uma história.

De A a Zigg fechou a programação, na quinta-feira. Foi gente prá caramba, surpreendentemente mais adultos que crianças. E como a performance foi bem descontraída, cheia de gags improvisadas, só se ouvia pai, mãe avô etc dando gargalhada e batendo palminha, he he he.



 


24 de abril de 2010

Tô no Viradão e sou Carioca


Carioca é aquele que precisa viajar prá falar bem do Rio.
Sim porque todos lá fora amam o Rio. Então o carioca fica com saudades, cantarola "minha alma caaanta..." e quer voltar correndo.
Vida longa ao Viradão Carioca que tá trazendo uma autoestima básica. É um evento popular sem ser carnaval, um sucesso.

Hoje, dentro da programação do Viradão, me apresentei na Biblioteca Infantil do Meier, que depois recebeu também os ótimos Tapetes Contadores e mesmo com chuva veio até kombi de jacarepaguá com gente animada. Sugeri às crianças que nunca ficassem em silêncio dentro de uma biblioteca. Assim não estranharei se as bibliotecárias não me chamarem nos próximos trinta anos. Na verdade a biblioteca da Lucila e companhia é um brinco, tomara que role outra.

23 de abril de 2010

Dia do planeta

Para a revista Ciência Hoje das Crianças.
copyright ivan zigg

27 de março de 2010

Sou fã da Mariana


Não sei o que eu gosto mais na Mariana Massarani. Eu gosto dos desenhos dela que "falam" sem esforço. Eles simplesmente vão acontecendo num desfile zen que todo mundo ama. O blog dela já viu? é uma alegria permanente de olhar, junta fotografia, papel de embrulho com desenho... tudo espontaneo. É como se um Picasso tivesse passado por ali, dado uma ajeitadinha em tudo e seguido em frente. Ela tem aquela coisa pura da expressão, do artista que ao invés de se fechar no culto à técnica, prefere cair no mundo e deixar o coração guiar o pincel. É por isso que ela é adorada por pais e filhos.

Gosto da casa dela, que é onde estamos nessa foto linda ( olha que atmosfera, parece a casa da Frida khalo! ),  num jantar Los Tres Amigos com o Tino Freitas. Em volta tem um monte de bibelôs que eu fico dizendo: nossa, isso ficava legal lá em casa!

E gosto de conversar com ela porque elogiamos quem é legal, crucificamos quem merece e rimos o tempo todo! he he he...

27 de novembro de 2009

a pedra do sal



Fui visitar uma escola chamada Paraíso. Fica na travessa do Sereno, na Pedra do Sal, perto do largo da Prainha, no bairro da Saúde. Achou que deu samba? E deu mesmo: esse lugar é simplesmente um monumento histórico do Rio. Ali escravos, baianos e brancos de baixa classe inventaram o samba. Nos degraus escavados da pedra do sal reuniam-se grandes vultos da nossa história, como Donga, João da Baiana, Pixinguinha e Heitor dos Prazeres. E tem um botequinzinho na esquina, dá prá tomar uma cerveja enquanto respira a atmosfera.
Será que as crianças da escola Paraíso sabem que têm esses padrinhos mágicos?




25 de novembro de 2009

que horror!


para a revista Ciência Hoje das Crianças

22 de novembro de 2009

o comentário do Antonio



"Sinceramente eu nunca tinha lido um livro tão engraçado em toda a minha vida. Diário de Um Banana conta a história de Greg Heafley, um garoto que conta como o ensino fundamental pode ser um verdadeiro inferno! Tem um segundo livro que é: O diário de um banana: Rodrick é o cara.
Os dois contam uma série de conflitos engraçadíssimos com a família de Greg, amigos e muito mais!
Eu recomendo os dois. Eu tenho certeza que você vai chorar de rir como eu!"
Antonio (*)


(*)Antonio, solteiro, 12 anos, é o crítico das sextas-feiras, embora estranhamente hoje seja domingo...além disso tudo ele é meu filho, ora. Contratado por 1 (um) açaí, Antonio fará test-drive de livro, explicando se você deve sair correndo para comprá-lo, ou apenas pegá-lo emprestado; ou ainda, espinafrando a obra sem dó nem piedade.

19 de novembro de 2009

alegria de ler, ouvir e ver


O nome do projeto é Alegria de Ler, olha a foto em cima: não tem tudo a ver? Acho gozado quando escuto alguém relacionar leitura à algo muito sério. Será que prá ler (ou escrever) precisa parar de falar, ouvir, cantar, dançar, rir, respirar, soltar pum? Ui!

Esses meninos são da Escola Padre Francisco da Mota, na zona portuária do Rio de Janeiro.  E o projeto é da Ligth, com assessoria da escritora Rosa Amanda que caprichou numa programação bem variada para escolas dessa região. Vamos pedir ao Padre, a Deus e à Ligth vida longa a esse projeto, um dos poucos a levar autores em escolas cariocas, algo muito comum em vários estados brasileiros.

Ô Jonatham, você já foi desenhado antes?



fotos de Vanessa Lavouras

15 de novembro de 2009

crianças, presentes e muita canoa


É uma caixinha de presente. A ilustração-relevo, do palhaçinho dos Tam-tans, parece feita de miolo de pão pintado e envernizado. E os olhos mexem! Nhéé! Tambem ganhei dezenas de cartas, como essa abaixo da Yanca do quarto ano, as dos meninos em envelopes azuis, as das meninas...sim, sim: envelope rosa. Só não tô encontrando aqui em casa um presente rosa que jurava ter vindo comigo de Ubatuba...

Ubatuba em Tupi-guarani é "muita canoa". Pudera: lá tem mais de oitenta praias com água da cor turquesa. E também tem uma escola municipal chamada Marina Salete. Já viram uma escolinha, a cinco horas de viagem do Rio, praticamente sem recursos, mobilizar parcerias e comunidade num projeto de leitura, e realizar um mega-evento de dia inteiro com autor e centenas de crianças na quadra de futebol? Então é isso, professoras do meu Brasil. A prô Aline teve essa idéia e não sossegou até conseguir. Com a diretora Carmen e a equipe da escola ela conseguiu comprar alguns exemplares de livros meus, fizeram revezamento de leitura em sala, trabalharam os temas, as histórias e a leitura de ilustrações com antecedencia. E o resultado foi essa festa.

Todo mundo aí fazendo a dança da caveira, vai: bate a mão, agora bate o pé...



11 de novembro de 2009

os quatro porquinhos



Não olhe agora mas isso não é um porquinho. São quatro.

O Jonas Ribeiro me pediu uma ilustração pro site dele. Mandei essa e ele gostou, tanto que prometeu escrever um livro sobre a idéia. No dia seguinte toca o telefone: é o Jonas avisando que o texto do livro está pronto e revisado. Mas dois dias e ele já tinha editora prá editar!

Meu Deus, que mundo é esse? Eu demoro uns três anos para cumprir o mesmo processo. E depois, quando o livro já está velhinho, na segunda terceira edição ainda fico olhando pro texto e dizendo: "- Não, não...isso aqui tá errado..."

8 de novembro de 2009

feira de porto alegre off


O dono da casa fazendo maionese caseira, aquele negócio que voce tenta, tenta e finalmente resolve comprar na esquina. Maria Inês preparando cocktail-Bob Esponja, dentro de um abacaxi, com ingredientes que só ela e Deus sabem. Eu picando cenoura e batata prá salada russa, que em portugues chamamos de "maionese".
Foi o aniversário do André, evento bregastronômico, que é igual a churrasco ótimo + músicas ruins. O churrasco ficou a cargo de um gaúcho; e prás músicas chamamos um cearense. Tino Freitas desfilou o maior repertório brega da história da humanidade nacional e internacional. Fui às lágrimas com "O Homem do Gás" e "Pintor, Você Pinta Bem". Como se não bastasse, na noite seguinte, a impactante caravana marchou até a casa da Cristina Dias e repetiu tudo, para alegria da grande maioria dos presentes.
Abaixo, nossa turminha de passear na Feira de Porto Alegre se refugia do calor na frescura-chic do café do Margs. É o único museu de onde ninguém sai aborrecido: se voce, como eu, não entendeu bulufas do que viu na sala da Bienal do MercoSul, basta passar no café, cujas tortas são obras de arte incontestáveis! E voilá-ulálá. Ana Corradini está imitando o Pica-Pau e Dani interpretando seu hit: o púdol histérico. Elma e André estão fazendo 45 graus, vou fazer também.


6 de novembro de 2009

passo fundo = livro


foto Gerson Lopes / Correio do Povo
Detesto fotografar por-do-sol, ainda mais da janela do hotel. Mas todo fim de dia tinha esse show... então me dei por vencido. Passei a semana em Passo Fundo, que ja foi conhecida como a Terra de Teixerinha (eu ia explicar que era o cantor de "Churrasco de Mãe", mas...) e hoje é a Capital do Livro.
A Jornada literária de Passo Fundo : quatro dias de celebração das artes, e da pesquisa em torno do livro, olha que coisa. A quantidade de público deixa boquiabertos até os palestrantes internacionais. Ao longo da Jornada, entre De A a Zigg e apresentações como autor, fui visto por mais de 6 mil crianças! E o mais importante: a qualidade e o envolvimento desse público, valorizando ao máximo a programação. É a Wonder-Woman Tânia, quem coordena tudo, a mãe da Jornada.
Depoimentos como o da super-bibliotecária chilena Constanza Mekis, em favor da criatividade, do humor e da energia para a formação de leitores na nova sociedade (aqui), deram o tom transformador e inquieto desse encontro.
Abaixo, a Stephanie mostrando o Só Um Minutinho dela, feito na Pré-Jornada, quando as crianças trabalham os livros dos autores que mais tarde encontrarão no evento. E mais abaixo nossa turminha de falar-besteira-no-jantar: Fatima Café, Juan Gamba (excelente clown de Madrid), Anna Claudia Ramos, Fernando Vilela, Celso Sisto, que coordenou lá um seminário de contadores (sim, de histórias, claro. Alguém aí imaginou um monte de caras segurando calculadoras?), Odilon, Marilda, Moça do Colar de Pérolas, Jornadetes Elisangela e Liara (obrigado pelo apoio gurias! só faltou a querida Elíria, anja-da-guarda na minha produção durante os quatro dias.)


25 de outubro de 2009

presente

Tino Freitas, que além de grande escritor é um amigo ainda maior, acaba de publicar este conto na revista Crescer de outubro. E acaba de me dar o maior presente do mundo. O texto (clique na imagem para ler) não apenas é lindo, como dedicado ao meu filho Miguel, depois que convivemos todos em Paraty, na última Flip. Já tentei umas três vezes chegar direto ao final mas não dá: tenho que fazer umas pausas. A ilustração é de Simone Matias.

24 de outubro de 2009

Garotada em Sorocaba

Ontem participei da Expo-Literária de Sorocaba. Olha a cara dessas crianças. Prá começar devem estar felizes com a biblioteca que a cidade deles tem e que organiza e sedia a feira. A biblioteca é cheia de vida, grande e luminosa, com projeto de arquitetura e jardim em volta. E os funcionários lá são iguais às crianças: estão se divertindo com o que fazem, têm interesse em tudo. Resultado: duas apresentações do De A a Zigg cheias de graça, com centenas de moleques cantando, dançando e desfrutando cada palavra, traço ou pincelada. Prontinhos para devorar livros e arte. Nota dez.
Como esses caras de Sorocaba conseguem? Será que eles andam com um pires na mão por aí? Ou simplesmente acreditam na cultura como investimento?